Artesãs de Aritapera/PA: técnicas e processos em uma perspetiva Etnomatemática

José Ricardo Mafra, Maria Cecilia Fantinato

Resumen


Resumo
Este estudo discute aspetos relativos a aprendizagens informais, evidenciadas em um grupo de mulheres artesãs, residentes na cidade Santarém/PA, Região do Aritapera, e de que forma estas aprendizagens e saberes informais se interconectam com a perspetiva do Programa Etnomatemática. Suas práticas sociais, refletidas no artesanato regional, mostram particularidades, envolvendo a transmissão e produção de saberes, organização de comunidades de práticas e trocas simbólicas evidenciadas, durante o trabalho de elaboração das cuias ornamentais. Os procedimentos metodológicos utilizados nesta investigação foram organizados de acordo com uma abordagem etnográfica, a partir da observação e inferência dos processos de construção e incisões de registros nas superfícies que compõem as cuias regionais. Os resultados da investigação indicam que a iconografia refletida nas cuias, aponta motivações especialmente relacionadas com representações sociais evidenciadas na dinâmica da comunidade e das relações comerciais envolvidas. As interações sociais possíveis e existentes no meio permeiam, assim, um fluxo de trocas permanentes de conhecimentos multifacetados diversos. A produção e ornamentação das cuias estão muito relacionadas com uma espécie de saber instrumental e técnico, mais geral, o qual envolve a comunidade, como um todo. Ao mesmo tempo, agrega elementos particulares às práticas das artesãs, de forma estreitamente conectada com a natureza revelando um saber dinâmico integrado e equilibrado com o meio ambiente, sem desconsiderar o fato de que qualquer alteração ambiental coloca em risco a prática cultural, ou seja, traz mudanças nos modos de produção.

Abstract
This study discusses aspects of informal learning, evidenced in a group of women artisans living in the city Santarém / PA, Aritapera region, and how these learning styles and informal knowledge interconnect with the perspective of the Ethnomatematics Program. Their social practices, reflected in their regional craft, show particularities involving the transmission and production of knowledge, organization of communities of practice and evidenced symbolic exchanges during the preparation work of ornamental gourds. Methodological procedures used in this research were organized, according to an ethnographic approach, from observation and inference of construction processes and incisions recorded on surfaces that create the regional gourds. Research results indicate that the iconography reflected in bowls, indicate motivations especially related with social representations evidenced in the community dynamics and commercial relations involved. Possible social interactions existing in this context thus permeate a permanent flow of diversified multifaceted knowledge exchange. The production and ornamentation of gourds are closely related to a kind of technical and instrumental knowledge, which involves the community as a whole. At the same time, it adds particular elements to the practices of the artisans, closely connected with nature, revealing a dynamic knowledge integrated and balanced with the environment, without disregarding the fact that any environmental alteration threatens the cultural practice, bringing changes to its modes of production. 


Palabras clave


Práticas socioculturais; Saberes informais; Etnomatemática; Representações simbólicas; Mulheres artesãs, Socio-cultural practices; Informal knowledge; Ethnomathematics; Symbolic representations; Craftswomen

Referencias


Bogdan, R. C., & Biklen, S. K. (1994). Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto.

Carvalho, L. G. (2011). Apresentação. In L. G. Carvalho Et al., (Ed.), O artesanato de cuias em perspectiva: Santarém (pp.13-47). Rio de Janeiro: IPHAN/CNFCP

Carvalho, L. G. (2012). Materialidade e imaterialidade na “cultura do patrimônio cultural” em Santarém. In L. G. Carvalho, & B. A. Mileo (Orgs.), Patrimônio cultural e direitos culturais na Amazônia (pp. 17-40) Santarém: UFOPA.

Chamoux, M. N. (1978). La transmission des savoir-faire: un objet pour l’eth-nologie des techniques? Techniques et culture. Bulletin de l’équipe de recherche, 191, 3, 46-83.

Clareto, S. M. (2009). Conhecimento, Inventividade e experiência: Potências do pensamento Etnomatemático. In M. C. C. B. Fantinato (Ed.), Etnomatemática, novos desafios teóricos e pedagógicos (pp.125-134). Niterói: Editora da UFF.

Costa, W. N. G. (2012). Imagens da Etnomatemática em periódicos brasileiros. Unión Revista Iberoamericana de Educación Matemática, 32, 165-180.

Costa, A. G. M. (2013). Iconografia atualizada das cuias do Aritapera. In A. M. S. Santos & L. G. Carvalho (Eds.), Terra, água, mulheres & cuias: Aritapera, Santarém, Pará, Amazônia (pp. 40-48). Santarém: UFOPA.

Dasen, P. R. (2004). Education informelle et processus d’apprentissage. In P. R. Dasen, & A. Akkari. Pédagogies et Pédagogues du Sud (pp. 23-52). Paris: L’Harmattan, 2004.

De Vargas, S. (2009). Estratégias não-escolares de ensino-aprendizagem e formação de professores da EJA. In M. C. C. B. Fantinato (Ed.), Etnomatemática: novos desafios teóricos e pedagógicos (pp. 193-201). Niterói: Editora da UFF.

D’Ambrosio, U. (1990). Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Editora Ática.

D’Ambrosio, U. (1993). A transdisciplinaridade como acesso a uma história holística. In P. Weil, U. D’Ambrosio, & R. Crema (Orgs.), Rumo à nova transdisciplinaridade: sistemas abertos de conhecimento (pp. 76-124). São Paulo: Summus.

D’Ambrosio, U. (2001). Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Editora Autêntica.

Fantinato, M. C. (2004) Reflexões sobre o processo de pesquisa em etnomatemática: análise de uma experiência em contexto urbano. Horizontes, Bragança Paulista, 22, p. 43-51.

Fantinato, M. C. (2013). Balanço da produção acadêmica dos congressos brasileiros de Etnomatemática. Unión Revista Iberoamericana de Educación Matemática, 33, 147-161.

Fantinato, M. C., & Mafra, J. R. (a aparecer). Aritapera's Craftswomen: Informal Learning Processes In An Ethnographic Study In Ethnomathematics, 01-08.

Geertz, C. (2008). A Interpretação das culturas. 1.ed. 13. reimp. Rio de Janeiro: LTC.

Greenfield, P. M. (1999). Cultural change and human development. In E. Turiel (Ed.), Development and Cultural Change: Reciprocal Processes. New Directions in Child Development, 83, 37-60. San Francisco: Jossey-Bass.

Lave, J., & Wenger, E. (1993). Situated learning: Legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press.

Maduro, R. G. A. (2013). A cuia nossa de cada dia. In A. M. S. Santos, & L. G. Carvalho (Eds.), Terra, água, mulheres & cuias: Aritapera, Santarém, Pará, Amazônia (pp. 32-38). Santarém: UFOPA.

Mafra, J. R. (2003). Artesãs e louceiras: a forma e a vida sob a ótica da etnomatemática. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Mafra, J. R. S., & Fantinato, M. C. (2015). Um estudo de propriedades topológicas evidenciadas em processos de elaboração de incisões em superfícies curvas: uma leitura etnomatemática. Anais do 4o Simpósio Internacional de Pesquisa em Educação Matemática. Bahia, Brasil.

Vergani, T. (2009). A criatividade como destino: transdisciplinaridade, cultura e educação. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Wenger, E. (1998). Communities of Practice: Learning, Meaning and Identity. New York: Cambridge University Press.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2017 Revista Latinoamericana de Etnomatemática



Revista Latinoamericana de Etnomatemática: perspectivas socioculturales de la Educación Matemática
e-ISSN: 2011-5474
Departamento de Matemáticas y Estadística- Universidad de Nariño
San Juan de Pasto- Colombia
E-mail: revista@etnomatematica.org
Sitio web: http://www.revista.etnomatematica.org
Tele-fax: (57)2+7310327

Licencia Creative Commons
Revista Latinoamericana de Etnomatemática por Universidad de Nariño y Red Latinoamericana de Etnomatemática se distribuye bajo una Licencia Creative Commons Atribución 4.0 Internacional.