Um navegar pelos saberes da tradição na Amazônia ribeirinha por meio da Etnomatemática

Marcos Marques Formigosa, Isabel Cristina Rodrigues de Lucena, Carlos Aldemir Farias

Resumen


Resumo:

A presente pesquisa investigou como os saberes da tradição dos ribeirinhos podem contribuir para um ensino de matemática educativo, sem que esses saberes estejam condicionados a um conceito matemático institucionalizado da escola. A pesquisa de campo fundamentou-se nos pressupostos da pesquisa qualitativa, desenvolvida em três, das setenta e duas ilhas existentes em Abaetetuba, Estado do Pará, Brasil, onde obteve-se as informações por meio de conversas formais e informais, registradas por meio de fotografias e áudios, junto aos freteiros, sujeitos ribeirinhos que navegam pelos rios que cortam essas ilhas prestando serviços de transporte de passageiros e cargas. Tendo como aporte teórico D’Ambrosio (1996; 2001; 2004); Santos (2003); Almeida (2010); Cunha (2007); Farias (2006); Bicudo (2005), Brasil (1998) e Morin (2010). A pesquisa aponta que o contexto sociocultural das ilhas de Abaetetuba, possui muitos saberes de natureza social, política, religiosa e de produção que podem contribuir para o processo de ensino e aprendizagem da Matemática nas escolas. Alguns desses saberes caminham lado a lado com os saberes escolares, estabelecendo possíveis diálogos, principalmente os que são perceptíveis ao olhar, ao visual. Mas, existem outros saberes que caminham em paralelo, os quais são passíveis de pouca identificação e, sobretudo, de uma certa irrelevância recebida pela ambiência escolar. 

Abstract:

This research investigates how the riverine knowledge tradition may contribute to math education, even if this knowledge is conditioned to a mathematical concept institutionalized in schools. e field research was based on the assumptions of qualitative research and it was was developed in three of the seventy-two existing islands of Abaetetuba State, Pará/Brazil, where the information was obtained through formal and informal conversations, registered in pictures and audios with the people who do freights and riverine inhabitant who make their living crossing the rivers in these islands; this project is informed by the theoretical contributions of D'Ambrosio (1996; 2001; 2004); Santos (2003); Almeida (2010); Cunha (2007); Farias (2006); Bicudo (2005), Brasil (1998) and Morin (2010). e research shows that the sociocultural context of Abaetetuba Islands has significant social, political, and religious knowledge production that may contribute to the teaching and learning of the mathematics process in schools. Some of this knowledge goes hand in hand with scholarly knowledge, establishing possible dialogues, particularly those that are noticeably visible. Nonetheless there are other kinds of parallel knowledge, which are likely to be poorly identified, and above all, a certain irrelevance received by the school environment. 


Palabras clave


Saberes da tradição, Identidade ribeirinha, Ilhas de Abaetetuba, knowledge, riverside identity, Abaetetuba Islands.

Referencias


Almeida, M. C. (2010). Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição . São Paulo: Ed. Livraria da Física.

Anadon, M. (2005). Formação, Pesquisa e Desenvolvimento em Educação . Salvador: UNEB/UQAC.

Bicudo, M. A. V. (2005). Educação Matemática. 2ª. ed. São Paulo: Centauro.

Brasil (2009). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Procampo . Disponível em: .

Brasil. (1998). Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF.

Carvalho, D. L. de (2009). Metodologia do ensino de matemática . 3ª ed. São Paulo: Cortez.

Costa, L. de F. M (2012). A etnomatemática na educação do campo, em contextos indígena e ribeirinho, seus processos cognitivos e implicações à formação de professores. (Dissertação de Mestrado). Curso de Educação em Ciências na Amazônia. Manaus, UEA.

Cunha, M. C. (2007). Relações e dissensões entre saberes tradicionais e saber científico. Revista USP , 75(1),76-84.

D’Ambrosio, U. (1996). Educação Matemática: da teoria a prática . São Paulo: Papirus.

D’Ambrosio, U. (2001). Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade . Belo Horizonte: Autêntica.

D’Ambrosio, U. (2004). Um enfoque transdisciplinar à educação e à história da matemática. In: M. A. V. Bicudo, M. Borba, (Orgs.), Educação matemática: pesquisa em movimento (pp. 13-29). São Paulo: Cortez.

Farias, C. A. (2006). Alfabetos da alma: histórias da tradição na escola. Porto Alegre: Sulina.

Farias, C. A.; Mendes, I. A. (2014). As culturas são as marcas das sociedades humanas. In I. A. Mendes, C. A. Farias, (Orgs.), Práticas socioculturais e educação matemática (pp. 15-48). São Paulo: Ed. Livraria da Física.

Fraxe, T. de J. P. (2004). Cultura cabloca-ribeinha: mitos, lendas e transculturalidade. São Paulo: Annablume.

Guerra, R. B., Silva, D. P. (2014). As práticas sociais da regra de três. In: I. A. Mendes, C. A. Farias, (Orgs.), Práticas socioculturais e educação matemática (pp. 199-246). São Paulo: Ed. Livraria da Física.

Lévi-Strauss, C. (1997). O pensamento selvagem . Tradução Tânia Pellegrini. Campinas, SP.

Lima, N. L. (2011). Saberes culturais e modos de vida ribeirinho e sua relação com o currículo escolar: um estudo no município de Breves/PA. (Dissertação de Mestrado). Instituto de Ciências da Educação. Programa de PósGraduação em Educação. UFPA, Belém.

Lucena, I. C. R. (2002). Carpinteiros navais de Abaetetuba: etnomatemática navega pelos rios da Amazônia. (Dissertação de Mestrado). Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Educação. UFRN, Natal.

Lucena, I. C. R. (2005). Educação matemática, ciência e tradição: tudo no mesmo barco. (Tese de Doutorado). Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduação em Educação. UFRN, Natal.

Morin, E. (2010). A religação dos saberes: o desafio do século XXI . 9ª. ed. Tradução e notas, Flávia Nascimento. Rio de Janeiro: Bertand Brasil.

Nahum, J. S. (2011). De ribeirinha a quilombola: dinâmica territorial de comunidades rurais na Amazônia Paraense. Campo território: Revista de Geografia Agrária , 6(12), 79-103.

Santos, B. de S. (2003). Um discurso sobre as ciências. 14ª. ed. São Paulo: Cortez.

Vergani, T. (2003). A surpresa do mundo: ensaios sobre cognição, cultura e educação. Natal: Ed. Flecha do Tempo.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Revista Latinoamericana de Etnomatemática: perspectivas socioculturales de la Educación Matemática
e-ISSN: 2011-5474
Departamento de Matemáticas y Estadística- Universidad de Nariño
San Juan de Pasto- Colombia
E-mail: revista@etnomatematica.org
Sitio web: http://www.revista.etnomatematica.org
Tele-fax: (57)2+7310327

Licencia Creative Commons
Revista Latinoamericana de Etnomatemática por Universidad de Nariño y Red Latinoamericana de Etnomatemática se distribuye bajo una Licencia Creative Commons Atribución 4.0 Internacional.