Exploração e problematização de Simetrias em artefatos socioculturais para o uso no Ensino Fundamental

Jeová Pereira Martins, Iran Abreu Mendes

Resumen


O presente artigo é resultante de uma pesquisa cujo objeto de estudos foi a exploração de casos de Simetria em padrões geométricos representados em artefatos socioculturais. O trabalho baseou-se na identificação e problematização de imagens, pautadas na sua relação com artefatos da cultura. Nosso objetivo principal foi problematizar o ensino de Simetria para os anos finais do Ensino Fundamental a partir da estrutura gráfica dos ornamentos de artefatos socioculturais visualizados em suas imagens. Como aportes teóricos do trabalho nos fundamentamos em Mendes (2014), Farias & Mendes (2014), Miguel & Mendes (2010) e Lévi-Strauss (2012). Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de cunho qualitativo, cujos dados foram produzidos pela leitura de textos relacionados à temática e pelo estudo de imagens de artefatos socioculturais. Os dados mostram a possibilidade de exploração didática do material pesquisado para o ensino de reflexão, rotação, translação e reflexão deslizante a partir dos padrões geométricos existentes nos artefatos estudados, por meio dos quais foram elaboradas problematizações para a sala de aula como atividades de ensino a serem desenvolvidas pelo professor na sala de aula de matemática do Ensino Fundamental.


Palabras clave


Ensino Fundamental; Simetria; Artefatos Socioculturais; Problematizações.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Brasil. Ministério da Educação. (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino de Matemática de 5ª a 8ª séries, PCN.

Farias, C. A., & Mendes, I. A. (2014). As culturas são as marcas das sociedades humanas. In: Mendes, I. A., & Farias C. A. (org.). Práticas socioculturais e educação matemática. (pp. 15-48). São Paulo, Brasil: Editora Livraria da Física.

Farmer, D. W. (1999). Grupos e Simetria: um guia para descobrir a matemática. (C. I. Januário, Trad.). Lisboa: Galvina Editora.

Gerdes, P. (2012). Etnomatemática – Cultura, Matemática, Educação: Coletânea de Textos 1979-1991. Moçambique. Impressão e distribuição: www.lulu.com.

Lévi-Strauss, C. (2012). O pensamento Selvagem (2ª ed.) (T. Pellegrini, Trad.). Campinas: Papirus.

Mendes, I. A. (2014). Práticas sociais históricas no ensino de matemática. In: Mendes, I. A., & Farias C. A. (org.). Práticas socioculturais e educação matemática (pp. 117-142). São Paulo, Brasil: Editora Livraria da Física.

Mendes, I. A. (2016). Investigação, formação de professores e ensino de matemática. In: Cunha, E. R., Soares, M. G., & SÁ, P. F. (org.). Formação de professores: teorias e práticas cotidianas (pp. 67-104). Belém, Brasil: EDUEPA.

Miguel, A.; & Mendes, I. A. (2010) Mobilizing histories in mathematics teacher education: memories, social practices, and discursive games. In: Zdm - International Journal On Mathematics Education, 42 (3-4), 381 - 392. Recuperado de http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/91341?mode=full

Vergani, T. (1991). O zero e os infinitos. Uma experiência de Antropologia e Educação Matemática intercultural. Lisboa: Minerva.

Vergani, T. (1995). Excrementos do sol. A propósito de diversidades culturais. Lisboa: Pandora.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.

Comentarios sobre este artículo

Ver todos los comentarios


Copyright (c) 2018 Revista Latinoamericana de Etnomatemática

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.

Revista Latinoamericana de Etnomatemática: perspectivas socioculturales de la Educación Matemática
e-ISSN: 2011-5474
Departamento de Matemáticas y Estadística- Universidad de Nariño
San Juan de Pasto- Colombia
E-mail: revista@etnomatematica.org
Sitio web: http://www.revista.etnomatematica.org
Tele-fax: (57)2+7310327

Licencia Creative Commons
Revista Latinoamericana de Etnomatemática por Universidad de Nariño y Red Latinoamericana de Etnomatemática se distribuye bajo una Licencia Creative Commons Atribución 4.0 Internacional.