Educação Escolar Indígena, matemática e cultura: a abordagem etnomatemática

Lucí T. M. dos Santos Bernardi, Ademir Donizeti Caldeira

Resumen


Resumo

Esse artigo3, de cunho teórico, busca promover uma reflexão sobre os desafios da Educação EscolarIndígena brasileira na construção de um processo educativo na Educação Matemática que contemple amatemática tradicional dos povos e a matemática acadêmica. O trabalho tem como elemento fundamentalque as práticas e a produção de conhecimentos matemáticos ocorrem em todas as culturas humanas, e temfecundidade na Etnomatemática enquanto campo de pesquisa e de ensino. Aponta a AbordagemEtnomatemática como perspectiva para conceber esse processo, oportunizando a comunidade indígena aposse destes dois conhecimentos, de forma que consiga fortalecer-se politicamente, tornando-seconsciente das diferentes possibilidades de utilização do conhecimento matemático, analisando asrelações de poder envolvidas no uso destes dois conhecimentos na busca de alternativas para solucionarconflitos ou crises com os quais se deparam, privilegiando uma dimensão sociopolítica para a EducaçãoMatemática.

Abstract

This theorical article, encourages a reflection on the challenges facing Brazilian Indigenous Education inthe midst of construction of an educational process that addresses Mathematics Education in traditionalmathematics and academic mathematics. A fundamental aspect of this work is that the practices and theproduction of mathematical knowledge occurs in all human cultures, and has its roots inEthnomathematics as a field of research and teaching. Ethnomathematics points the approach andperspective to design this process, allowing the indigenous community ownership of these two skills, sothey can strengthen themselves politically, becoming aware of different possibilities for the use ofmathematical knowledge by examining the power relations involved in use of both knowledge in thesearch for alternatives to solve conflicts or crises that they face, favoring a sociopolitical dimension toMathematics Education.


Palabras clave


Educação Escolar Indígena; Matemática; Cultura; Abordagem Etnomatemática; Indigenous Education; Mathematics; Culture; Ethnomathematics Approach

Referencias


Bauchspies, W. K., Restivo, S. (2001). O arbítrio da matemática: mentes, moral e números. Bolema, 16, pp. 102-124.

Bello, S. E. (1997, novembro). O lugar da etnomatemática no contexto da produção de conhecimento para o século XXI. Acesso em 28 de agosto de 2010. Disponível em www.ufrgs.br/.../educacaomatematica/.../Lugar_da_Etnomatematica_Contexto_da_Producao_de_conhecimento_para_o_século_XXI.pdf

Bishop, A. (1988). Mathematical enculturation: a cultural perspective on mathematics education. Dorderecht: Kluwer Publishers.

Bishop, A. (1999). Enculturación matemática: la educación matemática desde una perspectiva cultural. Barcelona: Editora Paidós.

Brasil, Presidência da República, Casa Civil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília-DF: Autores.

Brasil, Ministério da Educação e do Desporto. (1996). Lei de diretrizes e bases. Brasília-DF: Autor.

Brasil, Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. (1998). Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília-DF:Autores.

D‟Ambrósio, U. (1994). A etnomatemática no processo de construção de uma escola indígena. Em Aberto, 63, pp. 93-99.

D‟Ambrósio, U. (2002). Etnomatemática: elo entre as radições e a modernidade. Belo Horizonte-MG: Editora Autêntica.

D‟Ambrósio, U. (2003). O programa etnomatemática. Acesso em 22 de julho de 2010. Disponível em: www.fe.unb.br/etnomatematica/umolharetnomatematico.htm

D‟Ambrósio, U. (2004). Etnomatemática e educação. En G. Knijnik, F. Wanderer & C. J. de Oliveira (Eds.), Etnomatemática, currículo e formação Santa Cruz do Sul-RS: Editora Edunisc. pp.39-52.

D‟Ambrósio, U. (2005). Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade (2ªed.). Belo Horizonte-MG: Editora Autêntica.

D‟Ambrósio, U. (2008, março). Etnomatemática e história da matemática. Palestra apresentada no 3º Congresso Brasileiro de Etnomatemática, Niterói, RJ, Brasil.

Ferreira, M. K.(2002). Introdução. En M. K. L. Ferreira (Comp.), Idéias matemáticas de povos culturalmente distintos. São Paulo -SP: Editora Global. pp. 7-21.

Ferreira, E. S.(2003, setembro). O que é etnomatemática. Acesso em 28 de agosto de 2010. Disponível em www.ufrrj.br/leptrans/arquivos/etno.pdf

Ferreira, E. S. (2004). Os índios Waimiri-Atroari e a etnomatmática. En G. Knijnik, F. Wanderer & C. J. de Oliveira (Eds.), Etnomatemática, currículo e formação. Santa Cruz do Sul-RS: Editora Edunisc. pp.70-88.

Gerdes, P. (2002). Aritmética e ornamentação geométrica: a análise de alguns cestos de índios do Brasil. En M. K. L. Ferreira (Comp.), Idéias matemáticas de povos culturalmente distintos. São Paulo-SP: Editora Global. pp. 206-220.

Gerdes, P. (2007). Etnomatemática. Reflexões sobre matemática e diversidade cultural. Famalicão: Edições Húmus.

Knijnik, G. (2001). Educação matemática, exclusão social e política do conhecimento. Bolema, 16, pp. 12-28.

Knijnik, G. (2006). Educação Matemática, culturas e conhecimento na luta pela terra. Santa Cruz do Sul-RS, Editora Edunisc.

Lucena, I. C. (2004). Novos portos a navegar: por uma educação matemática. En F. A. Bandeira & I. C. Lucena (Eds.), Etnomatemática e práticas profissionais. Natal-RN: Editora UFRN. pp. 51-81.

Monteiro, A., Orey, D. C. & Domite, M. C. (2006). Etnomatemática: papel, valor e significado. En J. P. M. Ribeiro, M.C.S. Domite & R. Ferreira ( Eds.), Etnomatemática: papel, valor e significado Porto Alegre-RS: Editora Zouk. 2ª ed., pp. 13-37.

Pais, A., Geraldo, H., & Lima, V. (2003). Educação matemática crítica e etnomatemática: conflitos e convergências. Acesso em 22 de agosto de 2010. Disponível em www.educ.fc.ul.pt/docentes/jfmatos/mestrados/fcul/aem/aem_ese/diversos_2003.doc

Powell, A., Frankenstein, M. (1994). Toward liberatory mathematics: Paulo Freire‟s epistemology and ethnomathematics. En P. McLaren & C. Lankshear (Eds.),Conscientization and oppression. London: Routledge.pp.74-99.

Piovezana, L. (2007). A educação no contexto indígena kaingang. En A. Nacke, A. Renk, L. Piovesana & N. M. S. Bloemer (Eds.), Os Kaingang no oeste catarinense: tradição e atualidade Chapecó-SC: Editora Argos. pp. 101-122.

Ribeiro, J. P. M., Ferreira, R. (2006). Educação escolar indígena e etnomatemática: um diálogo necessário. En J. P. M. Ribeiro, M.C.S. Domite & R. Ferreira (Comp.), Etnomatemática:papel, valor e significado Porto Alegre-RS: Editora Zouk. 2ª ed., pp. 149-160.

Rosa, M., Orey, D.C. (2005). Tendências atuais da Etnomatemática como um programa: rumo à ação pedagógica. Zetetiké, 23, pp. 121-136.

Severino, A. J. (2000, novembro). A noção de cultura. Palestra apresentada no 1º Congresso Brasileiro de Etnomatemática, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, P. B. G. (1993). Diversidade étnico-cultural e currículos escolares. Cadernos CEDES, 32, pp. 25-34.

Skovsmose, O. (2007). Educação crítica. Incerteza,matemática, responsabilidade. São Paulo-SP, Editora Cortez.

Vergani, T. (2007). Educação etnomatemática: o que é? Natal-RN, Editora Flecha do tempo. (Coleção Metamorfose - número especial).

Vithal, R., Skovsmose, O. (1997). The end of innocence:a critique of ethnomathematics‟. Educacional Studies in Mathematics, 34, pp. 131-147.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c)



Revista Latinoamericana de Etnomatemática: perspectivas socioculturales de la Educación Matemática
e-ISSN: 2011-5474
Departamento de Matemáticas y Estadística- Universidad de Nariño
San Juan de Pasto- Colombia
E-mail: revista@etnomatematica.org
Sitio web: http://www.revista.etnomatematica.org
Tele-fax: (57)2+7310327

Licencia Creative Commons
Revista Latinoamericana de Etnomatemática por Universidad de Nariño y Red Latinoamericana de Etnomatemática se distribuye bajo una Licencia Creative Commons Atribución 4.0 Internacional.