Educação matemática em cursos de Pedagogia: um estudo com professores brasileiros dos anos iniciais de escolarização

Gelsa Knijnik, Juliana Meregalli Schreiber

Resumen


Resumo

O artigo apresenta resultados de um projeto investigativo que teve por objetivo compreender as verdades sobre a educação matemática que circulam em cursos de Pedagogia e como a diferença cultural opera na constituição de tais verdades. Seu material empírico consiste em entrevistas realizadas com professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental graduados em cursos de Pedagogia. Com o uso de ferramentas teóricas da Etnomatemática, em sua interlocução com as teorizações de Foucault e do “Segundo Wittgenstein”, a análise das entrevistas mostrou que o Curso de Pedagogia possibilita aos estudantes uma reflexão sobre suas experiências anteriores com a matemática escolar; o Curso de Pedagogia possibilita a apropriação de jogos de linguagem associados às matemáticas instituídas por diferentes formas de vida; e os meninos são posicionados como os que têm melhor desempenho na matemática escolar e as meninas como as que são obedientes e capazes de seguir regras nas aulas de matemática.

Abstract

The paper presents the results of a research Project, which aims to analyzing the truths about mathematics education that circulate in Teacher Education courses (of the Southernmost state of Brazil) and how cultural difference operates in the constitution of such truths. The empirical data are composed by interviews done with teachers who work in the first years of schooling and have completed their Teacher Education courses. Using Ethnomathematics theoretical tools, linked to Foucault and Later Wittgenstein‟s theorizations, data analysis showed that Teacher Education courses enable students to reflect on their past experiences with school mathematics; the Teacher Education courses allow the appropriation of language games associated with diverse mathematics, instituted by different forms of life; and the boys are positioned as those who perform better in school mathematics and the girls as those who are obedient and able to follow rules in mathematics classes.


Palabras clave


Educação matemática; Educação matemática em cursos de Pedagogia; Etnomatemática; Mathematics education; Mathematics education in Teacher Education courses; Ethnomathematics

Referencias


Cardoso Junior, H. (2002). Foucault e Deleuze em co-participação intelectual. In: Rago, M., Orlandi, L., Veiga-Neto, A. (Orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze. Ressonâncias nietzscheanas. Rio de Janeiro: DP&A.

Condé, M. L. (2004). As teias da razão: Wittgenstein e a crise da racionalidade moderna. Belo Horizonte: Argvmentvm.

Duarte, C. (2009). A “realidade” nas tramas discursivas da educação matemática escolar. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos, São Leopoldo, RS.

Fiorentini, D., Nacarato, A., Ferreira, A. C., Lopes, C., Freitas, M. T., & Miskulin, R. G.(2002). Formação de professores que ensinam Matemática: um balanço de 25 anos da pesquisa brasileira. Educação em Revista, 36, 137-160.

Foucault, M. (1979). Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal.

Foucault, M. (2002). Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2007). A ordem do discurso. 15 ed. São Paulo: Loyola.

Giongo, I. M. (2008). Educação Matemática e disciplinamento de corpos e saberes: um estudo sobre a Escola Estadual Técnica Agrícola Guaporé. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos, São Leopoldo.

Guimarães, J. (2009). Matemática Escolar, raciocínio lógico e a constituição do “bom aluno” em matemática. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós–Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

Knijnik, G . (2009). Reflexões sobre fundamentos filosóficos e epistemológicos do e no ensino de matemática desde uma perspectiva etnomatemática. Em M. H. Fávero; C. Cunha. (Org.). Psicologia do conhecimento: o diálogo entre as ciências e a cidadania. (pp. 165-176). Brasilia: Unesco/Liber Livro Editora/Universidade de Brasilia.

Knijnik, G. (2007). Diversidad cultural, matemáticas y exclusión: oralidad y escrita en la educación matemática campesina del sur del Brasil. Em J. Giménez & J. Díez-Palomar (Org.). Educación matemática y exclusión. (pp. 66-83). Barcelona: Graó.

Knijnik, G., Silva, F. (2008). “O problema são as fórmulas”: um estudo sobre os sentidos atribuídos à dificuldade em aprender matemática. Cadernos de Educação, 30, 63-78.

Louro, G. (2001). Currículo, gênero e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petropolis: Vozes.

Nacarato, A. M., Passos, C. L., & Carvalho, D. L. (2004). Os graduandos em pedagogia e suas filosofias pessoais frente à matemática e seu ensino. Zetetiké, 12(21), 9-33.

Pinto, C. R. J. Com a palavra o senhor Presidente Sarney: ou como entender os meandros da linguagem do poder. São Paulo: Hucitec, 1989.

Schreiber, J. (2009). Narrativas docentes sobre Educação Matemática: um estudo etnomatemático. Trabalho de Conclusão de Curso – Graduação, Universidade do vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS.

Soares, M. T. (2000). Práticas Discursivas nas Aulas de Matemática das Séries Iniciais do Ensino Fundamental: os Professores, seus saberes e a Criação de Situações Didáticas. Anais da II Iconferência de Pesquisa Sócio-cultural. Campinas. Unicamp. pp.169.

Soares, M. T. (1997). Educação matemática na escola elementar: a importância da compreensão conceitual do professor para o ato de ensinar. Em Sociedade Brasileira de Psicologia (Org.) Anais do XXVI Congresso Interamericano de Psicologia, São Paulo: PUC, pp. 52.

Soares, M. T., Pinto, N. (2001). A pesquisa em colaboração no processo de formação do professor que ensina matemática nas séries iniciais do ensino. CD – 24a ANPEd.

Stronach, I., MacLure, M. (1997). Educational research undone. The Postmodern Embrace. Buckingham, Philadelphia: Open University Press.

Vilela, D. S. (2007). Matemática nos usos e jogos de linguagem: Ampliando concepções na Educação Matemática. Tese (Doutorado em Educação). Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

Walkerdine, V. (2007). Ciência, razão e mente feminina. Educação & Realidade, 32, 7-24.

Walkerdine, V. (1999). A cultura popular e a erotização das garotinhas. Educação & Realidade, 24(2), 75-88.

Walkerdine, V. (1995). O raciocínio em tempos pós-modernos. Educação & Realidade, 20(2).

Wanderer, F. (2007). Mecanismos de regulação sobre sujeitos escolares de uma localidade rural de colonização alemã do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo.

Wittgenstein, L. (2004). Investigações Filosóficas. 3.ed. Petrópolis: Vozes.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c)



Revista Latinoamericana de Etnomatemática: perspectivas socioculturales de la Educación Matemática
e-ISSN: 2011-5474
Departamento de Matemáticas y Estadística- Universidad de Nariño
San Juan de Pasto- Colombia
E-mail: revista@etnomatematica.org
Sitio web: http://www.revista.etnomatematica.org
Tele-fax: (57)2+7310327

Licencia Creative Commons
Revista Latinoamericana de Etnomatemática por Universidad de Nariño y Red Latinoamericana de Etnomatemática se distribuye bajo una Licencia Creative Commons Atribución 4.0 Internacional.