Etnomatemática e Pedagogia da Alternância: Elo entre saber matemático e práticas sociais

Carlos A. G. Assunção, Renato Borges Guerra

Resumen


Resumo

Este artigo traz para o cenário de debate, possíveis relações entre as concepções da Etnomatemática e daEducação do Campo, colocando o saber matemático e as práticas sociais como elo dessa relação, em locaisdiferenciados dos espaços urbanos com recorte nos aspectos da pedagogia da alternância dos CentrosFamiliares de Formação por Alternância (CEFFAs). Estes são instituições que têm como metodologia deensino a pedagogia da alternância, processo que permite conjugar sistematicamente os elementos tempo,espaço e concepções pedagógicas, na tentativa de conciliar atividade laboral com atividade escolar. Aoapresentar reflexões sobre elementos teóricos da educação do campo como contra ponto ao modelo deeducação ofertada para a zona rural; traz para este contexto de reflexão as dimensões política e educacional daEtnomatemática como tendência da Educação Matemática que pode oportunizar o confronto e análise de ideiassocioculturais, apontar convergências e interligar diferentes áreas de conhecimento. A pesquisa foidesenvolvida na Casa Escola da Pesca (CEPE), localizada na ilha de Caratateua, Distrito de Outeiro, Municípiode Belém-PA, cujo ensino destina-se a jovens e adultos oriundos da região das ilhas e entorno da escola.Procurou-se seguir os aspectos reflexivos de uma pesquisa de caráter qualitativa.

Abstract

This article brings to stage of debate, possible relations between the conceptions of Ethnomathematics andEducation Field, putting the mathematical knowledge and social practices as a link of this relations hip indifferent local urban spaces, with cutting aspects of the pedagogy of alternation of Family Training centers forSwitching (CEFFAs). These are institutions that are teaching methodology pedagogy of alternation, systematicprocess that allows the elements combine time, space and pedagogical concepts in an attempt to combine workactivities with school activity. In presenting reflections on theoretical elements of the field of education as acounter point to the model of education offered to the country side; bring in this context of reflection and thepolitical education of Ethnomathematics as a tendency of mathematics education can create opportunities thatthe confrontation of ideas and sociocultural analysis, pointing out similarities and connect different areas ofknowledge. The research was developed at the School House Fisheries (CEPE), located on the island ofCaratateua, Outeiro District, Municipality of Belém-PA, whose teaching is aimed at young people and adultsfrom the region of the islands and around school. We tried to follow the reflective aspects of a qualitativestudy.


Palabras clave


Etnomatemática; Educação do Campo; Prática Social; Ethnomathematics; Rural Education; Social Practices

Referencias


Begnami, J. B. (2006). Pedagogia da Alternância como sistema educativo. Revista da Formação por Alternância. 3, 24-47.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constitui%C3%A7ao.htm

Caldart, R. S. (2003). A Escola do Campo em Movimento. Currículo em fronteira, 3(1), pp.60-81. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol3iss1articles/roseli2.pdf.

CNE/CEB. Conselho Nacional da Educação Básica. (2002). Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Resolução CNE/ CEB Nº 1/02

Chevallard, Y., Joshua, M-A. (1991). La transposition didactique. Paris: La pensée sauvage.

Chevallard, Y. et al. (2001). Estudar Matemática: o elo entre o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed.

Chevallard,Y. (2009). La TAD face au professeur de mathématiques. Toulouse, UMR ADEF. Disponível: http://yves.chevallard.free.fr/spip/spip/IMG/pdf/La_TAD_face_au_professeur_de_mathematiques.pdf

Conselho Estadual de Educação (CEE). (2009). Resolução nº 01 de 09 de Janeiro de 2009. Normas para o reconhecimento e regulamentação da pedagogia da alternância referente à Educação Básica, Belém, 2009.

D’Ambrosio, U. (1990). Etnomatemática: Arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Editora Ática.

D’Ambrosio, U. (2002). Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica.

D’Ambrosio, U. (2003). Educação matemática: da teoria à prática. 10 ed. Campinas, SP: Papirus.

D’Ambrosio, U. (2005). Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica.

Fiorentini, D., Lorenzato, S. (2007). Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas, SP: Autores Associados.

Freire, P. (2005). Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gimonet, J-C. (2007). Praticar e compreender a pedagoga da alternância. Petrópolis, RJ: Vozes.González, M., Salete, R. & Castagna, M. (Org.). (2004). Por uma Educação do Campo. Petrópolis, RJ: Vozes

Henriques, R., Marangon, A., Delamora, M. & Chamusca, A. (Orgs.). (2007). Educação do Campo: diferenças mudando paradigmas. Brasília: SECAD/ MEC.

IBGE. (2006). Setor de Documentação e Disseminação de Informação-SDDI. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/

IBGE (2009). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2009/

Knijnik, G. (1997). As novas modalidades de exclusão social: Trabalho, conhecimento e educação. Revista Brasileira de Educação. 4, 35-42.

Knijnik, G., Wanderer, F. (2006). "A vida deles é uma matemática": regimes de verdade sobre a educação matemática de adultos do campo. Revista Educação, 4(7), 56-61.

LDB (2010). Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Brasileira. Brasilia: Edições Câmara. Disponível: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/2762/ldb_5ed.pdf

MEC/INEP. (2003). Mapeamento das Instituições que Utilizam a Pedagogia da Alternância. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais- Inep/ MEC/SECAD/CGEC. Brasília. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra

Miguel, A., Mendes, I. A. (2010). Mobilizing in mathematics teacher education: memories, social practices, and discursive games. ZDM, 42, (3-4), 381-392.

Munarim, A. (2006). Elementos para uma politica pública de educação do Campo. In: Castagna, M. (Org.). Educação do Campo e Pesquisa: questões para reflexão. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário. Disponível: ww.mda.gov.br/portal/nead/neadespecial/download_orig_file?pageflip_id=5813594

Oliveira, G. (2008). Ideb da Minoria. Nova Escola. Disponível: http://revistaescola.abril.com.br/politicas-publicas/avaliacao/ideb-428183.shtml

Orey, D. (2000). Geometry of the Tipi and Cone: Using Mathematical Modelagem as Applied Etnomatemática. In: Selin, H. & D’Ambrosio, U. Mathematics Across Cultures: the History of Non-Western Mathematics. Dordrecht, Netherlands: Kluwer Academic Publishers.

PCN (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental - Brasília: MEC/SEF.

Powell, A. & Frankenstein, M. (1997). Ethnomathematics: Challenging Eurocentrism in Mathematics Education. (s.e). Publicado em meio virtual no site:www.ethnomath.org/resources/ISGEm/094.htm

Ribeiro, M. (2008). Pedagogia da alternância na educação rural/do campo: projetos em disputa. Educação e Pesquisa, 34 (1), 27-45. Recuperado de:http://redalyc.uaemex.mx/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCve=29811337010

Rocha, M. I. (2009). Colóquio de Educação do Campo, Desenvolvimento e Sustentabilidade, comunicação pessoal, UFPA, Belém-PA.

Scandiuzzi, P. P. (2004). Educação matemática indígena: a constituição do ser entre os saberes e os fazeres. In: Bicudo, M. & Borba, M. (Orgs.). Educação matemática: pesquisa em movimento. São Paulo: Cortez.

Silva, G., Barbosa, H., Socorro, D., & Cunha, M. (2007). Educação do campo na Amazônia: uma experiência. Belém: EDUFPA.

Silva, L. H. (2008). Educação do Campo e Pedagogia da Alternância. A experiência brasileira. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, 5, 105-112. Consultado em http://sisifo.fpce.ul.pt/?r=15&p=105

Silva, L. H. (2009). Centros Familiares de Formação por Alternância: Avanços e perspectivas na construção da educação do campo. Cadernos de Pesquisa Pensamento Educacional, v. 8, p. 270-290.

Soares, E., A, L. (2001). Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Parecer nº 36/2001. ME/CNE. Brasil, Distrito Federal. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/EducCampo01.pdf

Sommerman, A. (1999, novembro). Pedagogia da Alternância e Transdisciplinaridade. Conferencia presentada em Pedagogia da Alternância: I Seminário Internacional, Itapoan, Salvador, Bahia.

Teixeira, E. S., Bernartt, M. L., & Alves, G. (2008). Estudos sobre Pedagogia da Alternância no Brasil: revisão de literatura e perspectivas para a pesquisa. Educação e Pesquisa, 34(2), 227-242.

Wenger, E. (1998). Communities of Practice: Learning, Meaning and Identity. Cambridge, UK: Cambridge University Press. Disponível em: http://www.ewenger.com/theory.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c)



Revista Latinoamericana de Etnomatemática: perspectivas socioculturales de la Educación Matemática
e-ISSN: 2011-5474
Departamento de Matemáticas y Estadística- Universidad de Nariño
San Juan de Pasto- Colombia
E-mail: revista@etnomatematica.org
Sitio web: http://www.revista.etnomatematica.org
Tele-fax: (57)2+7310327

Licencia Creative Commons
Revista Latinoamericana de Etnomatemática por Universidad de Nariño y Red Latinoamericana de Etnomatemática se distribuye bajo una Licencia Creative Commons Atribución 4.0 Internacional.