O (re)descobrimento do conhecimento matemático fora da escola a partir de uma trilha de matemática: um estudo fundamentado na etnomodelagem

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.22267/relatem.21142.83

Palabras clave:

Etnomatemática, Modelagem Matemática, Etnomodelagem, Perspectiva Sociocultural, Trilhas de Matemática.

Resumen

Este artigo teórico disserta sobre a contribuição do Programa Etnomatemática e a sua conexão com a Modelagem Matemática em sua perspectiva sociocultural por meio da Etnomodelagem no contexto das Trilhas de Matemática, que tem como objetivo principal trilhar caminhos diferenciados para o desenvolvimento dos processos de ensino e aprendizagem em Matemática. As Trilhas de Matemática podem ser consideradas como uma proposta para a ação pedagógica em que os professores utilizam práticas extraescolares para que os alunos possam perceber a aplicação do conhecimento matemático em tarefas realizadas fora das salas de aula, em pontos específicos nas ruas de suas cidades. Desse modo, existe a necessidade do desenvolvimento de módulos de atividades matemáticas extracurriculares, para que se possam criar situações-problema enfrentadas no cotidiano dos alunos e no âmbito escolar, que estão baseadas nos fenômenos presentes na vida diária de suas comunidades, que visam torná-los sujeitos ativos e críticos nos processos de ensino e aprendizagem em Matemática por meio de uma análise reflexiva dos ambientes sociocultural e natural. Então, este artigo busca analisar e discutir a perspectiva sociocultural da Etnomodelagem, que objetiva auxiliá-los na leitura de sua realidade, direcionando-os para uma melhor compreensão de seu entorno por meio da participação nas Trilhas de Matemática, possibilitando-lhes uma interação aprofundada com o próprio mundo.

 

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Jéssica Rodrigues, UFOP

Mestranda

Milton Rosa, Helena Nicoletti Rosa Aristeu Rosa

Professor Adjunto no Centro de Educacao Aberta e a Distancia (CEAD)

Daniel Clark Orey, UFOP

Professor associado I

Citas

BASSANEZI, R. C. (2002). Ensino-aprendizagem com modelagem matemática: uma nova estratégia. São Paulo, SP: Editora Contexto.

BURAK, D. (1992). Modelagem matemática: ações e interações no processo de ensino e aprendizagem. Tese (Doutorado Educacional). Faculdade de Educação. Campinas, SP: UNICAMP.

CORTES, D. P. O. (2017). Re-significando os conceitos de função: um estudo misto para entender as contribuições da abordagem dialógica da Etnomodelagem. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática). Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB. Departamento de Educação Matemática- DEEMA. Ouro Preto, MG: UFOP.

CROSS, R. (1997). Developing maths trails Mathematics Teaching, 158, 38-39.

D’AMBROSIO, U. (1990); Etnomatemática. São Paulo, SP: Editora Ática,

D’AMBROSIO, U. (1998). Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo, SP: Editora Ática.

D’AMBROSIO, U. (2001). Etnomatemática: elos entre as tradições e a modernidade. Coleção: Tendências em Educação Matemática. Belo Horizonte, MG: Autêntica.

D’AMBROSIO, U. (2017). Prefácio. In: Rosa, M.; Orey, D. C. (Orgs.). Etnomodelagem: a arte de traduzir práticas matemática locais (pp. 13-16). São Paulo, SP: Editora Livraria da Física.

ENGLISH, L. D. (1998). Children's problem posing within formal and informal contexts. Journal for Research in Mathematics Education, 29(1), 83-106.

GERDES, P. (1985). Conditions and strategies for emancipatory mathematics education in underdeveloped countries, For the Learning of Mathematics, 5(1), 15-20.

HUMBLE, S. & BARNES, V. E. (2010). Trailblazers. Teaching Children Mathematics, 16(7), 402-409.

KENDEROV, P., REJALI, A., BARTOLINI BUSSI, M., PANDELIEVA, V., RICHTER, K., MASCHIETTO, M., KADIJEVICH, D. & TAYLOR, P. (2009). Challenges beyond the classroom sources and organizational issues. In: E. BARBEAU; P. TAYLOR (Eds.). Challenging mathematics in and beyond the classroom (pp. 53-96). New ICMI Study Series 12. New York, NY: Springer.

LEWIS, T. R. & LEWIS, C. H. (1998). Take it outside! Teaching Children Mathematics, 4(8), 462–463.

MAFRA, J. R. S. & PEREIRA, P. M. P. (2016). Pinturas e cuias tapajônicas: uma leitura etnomatemática. Revista Exitus, 6(2), 239-254.

OREY, D. C. (2011). Projeto trilha de matemática de Ouro Preto: TRIMOP. Ouro Preto, MG: UFOP.

OWENS, K., PATTISON, J. & LEWIS, E. (2003). Organising maths trails. Reflections, 28(1), 27-30.

OWENS, K. (2012). Papua Nova Guiné: conhecimentos indígenas sobre conceitos matemáticos. Jornal de Matemática e Cultura, 6(1), 20-50.

RICHARDSON, K. M. (2004). Designing math trails for the elementary school. Teaching Children Mathematics, 11(1), 8–14.

RODRIGUES, J. (2019). Modelagem Matemática na perspectiva sociocultural da etnomodelagem. Belo Horizonte, MG: 11ª Conferência Nacional Sobre Modelagem Matemática na Educação Básica.

ROSA, M. (2010) A mixed-methods study to understand the perceptions of high school leaders about English Language Learners (ELL) students: the case of mathematics. Tese de Doutorado. College of Education. Sacramento, CA: California State University, Sacramento – CSUS.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2006). Abordagens atuais do programa etnomatemática: delineando um caminho para a ação pedagógica. BOLEMA, 19(26), 19-48.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2007). A dimensão crítica da modelagem matemática: ensinando para a eficiência sociocrítica. Horizontes, 25(2), 197-206.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2010). Ethnomodeling: a pedagogical action for uncovering ethnomathematical practices. Journal of Mathematical Modelling and Application, 1(3), 58-67.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2012a). O campo de pesquisa em etnomodelagem: as abordagens êmica, ética e dialética. Educação e Pesquisa, 38(4), 865-879.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2012b). A modelagem como um ambiente de aprendizagem para a conversão do conhecimento matemático. BOLEMA, 26(42A), 261-290.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2013). As abordagens êmica, ética e dialética na pesquisa em etnomodelagem. Actas del VII CIBEM (pp. 3475-3482). Montevidéo, Uruguay: CIBEM.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2014). Etnomodelagem: a abordagem dialógica na investigação de saberes e técnicas êmicas e éticas. Contexto & Educação, 29( 94), 132-152.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2016). Pesquisa em investigações em etnomodelagem. Anais do XII Encontro Nacional de Educação Matemática (pp. 1-11). São Paulo, SP: SBEM.

ROSA, M. & OREY, D. C.(2017). Influências etnomatemáticas em salas de aula: caminhando para a ação pedagógica. Curitiba, PR: Appris Editora.

ROSA, M. & OREY, D. C. (2019). Um currículo trivium para a matemática fundamentado nas perspectivas da etnomatemática e da modelagem. HIPÁTIA, 4(1), 26-37.

ROSENTHAL, M. M. & AMPADU, C. K. (1999). Making mathematics real: The Boston math trail. Mathematics Teaching in the Middle School, v. 5, n. 3, (pp. 140).

SHOAF, M. M.; POLLAK, H. & SCHNEIDER, J. (2004). Math trails. Lexington (MA): COMAP.

SOARES, R. B. (2018). Modelagem matemática como um ambiente de aprendizagem para o desenvolvimento das competências em modelagem matemática de um grupo de estudantes ao transformar uma brincadeira em uma prática esportiva. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática). Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB. Departamento de Educação Matemática- DEEMA. Ouro Preto, MG: UFOP.

SPANGLER, L. (2004). P.H.Y.S.I.C.S. can be done! Science and Children, 41(6), 30–33.

TOLIVER, K. (2016). The math trail. The Futures Channel Educational Videos and Activities. Los Angeles, CA: The Futures Channel.

VALE, I., BARBOSA, A. & PIMENTEL, T. (2015). Math trails: a rich context for problem posing - an experience with pre-service teachers. Quaderni di Ricerca in Didattica, 25(2), 205-211.

Publicado

2021-07-29 — Actualizado el 2021-08-01

Versiones

Cómo citar

Rodrigues, J., Rosa, M., & Orey, D. C. (2021). O (re)descobrimento do conhecimento matemático fora da escola a partir de uma trilha de matemática: um estudo fundamentado na etnomodelagem. Revista Latinoamericana De Etnomatemática Perspectivas Socioculturales De La Educación Matemática, 14(2), 54-75. https://doi.org/10.22267/relatem.21142.83 (Original work published 29 de julio de 2021)

Número

Sección

Artículos de reflexión

Métricas.

*